DESASTRE DE MARIANA

O pior desastre ambiental da história do Brasil desencadeou uma das maiores ações judiciais já registradas em um tribunal britânico.

No dia 5 de novembro de 2015, a barragem de rejeitos de minério do Fundão se rompeu em Minas Gerais, Brasil, despejando aproximadamente 60 milhões de metros cúbicos de resíduos tóxicos, resultando em um dos desastres ambientais mais devastadores da história brasileira.

DESASTRE DE BRUMADINHO

Após o rompimento da barragem de Mariana em 2015, as autoridades prometeram ‘nunca mais’. No entanto, apenas três anos depois, em janeiro de 2019, um desastre de mineração ocorreu novamente, desta vez causando uma perda ainda maior à vida humana.

Quase 300 pessoas morreram quando uma barragem de rejeitos de minério se rompeu em Brumadinho, Minas Gerais, e mais uma vez a lama tóxica foi liberada no meio ambiente. O desastre destruiu a infraestrutura, deixou veículos submersos, contaminou o abastecimento de água, e ainda continua prejudicando os sistemas ecológicos e os indivíduos.

DANOS EM MINA DE SAL DE MACEIÓ 

Em 2018, rachaduras, sumidouros e terremotos ligados às atividades de mineração de gema-sal causaram enormes danos a ruas, casas e prédios em vários bairros de Maceió (AL).

Um relatório do serviço geológico brasileiro divulgado em maio de 2019 responsabilizou a mineração de sal feita pela Braskem por danos à integridade estrutural de propriedades na capital alagoana.

Milhares de vítimas ainda estão esperando para serem indenizadas pelos danos e agora estão levando sua batalha judicial a tribunais estrangeiros para obter a reparação adequada para o impacto que as operações da Braskem tiveram em suas vidas. Aqueles que receberam ajuda financeira argumentam que não é suficiente.

As comunidades ribeirinhas em Barcarena têm sofrido os efeitos negativos da poluição causada pela mineração de alumínio por muitos anos. Agora, a população afetada está lutando pela responsabilização das multinacionais europeias que lucram com a poluição. 

Cerca de 11 mil famílias do Pará buscam indenização pelos danos causados às comunidades de Barcarena e Abaetetuba. 

As vítimas foram expostas a resíduos tóxicos do processamento de alumínio, que podem causar problemas de saúde, como aumento da incidência de câncer, doença de Alzheimer, doenças de pele, problemas de estômago e diarreia. 

POLUIÇÃO POR RESÍDUOS TÓXICOS EM BARCARENA E ABAETETUBA

PGMBM (um nome comercial de Excello Law Limited) – Número de licença SRA 512898

Excello Law is authorised and regulated by the Solicitors Regulation Authority and complies with the Solicitors Code of Conduct, a copy of which can be located here.

Badge