Haidar
Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Em outubro de 2015, o Haidar (IMO 9083067) atracou em Vila do Conde, Barcarena, no rio Pará, onde foi carregado com 5.000 bovinos vivos, que seriam enviados para a Venezuela. 

Depois de carregado, o navio começou a se inclinar, o que foi agravado pela movimentação do gado a bordo. t

Cerca de 500 cabeças de gado escaparam do porão, mas apenas 100 sobreviveram. Centenas de carcaças foram parar nas praias próximas, enquanto os animais restantes ficaram presos dentro do navio naufragado. 

 As barreiras de contenção não conseguiram suportar a pressão exercida por centenas de carcaças de animais em decomposição e se romperam, liberando poluição adicional por óleo, bem como centenas de carcaças flutuantes. 

A Agência Estadual do Meio Ambiente (SEMAS) e o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (IBAMA) encaminharam notificações ao Minerva SA, incluindo demandas para que a empresa apresentasse um plano emergencial para a retirada das carcaças e providências imediatas para a retirada dos poluentes vazados do navio. 

Somente em 18 de outubro de 2015, os empreiteiros começaram a extrair parte do óleo remanescente do navio e a remover as carcaças das praias. 

Muitas das carcaças foram queimadas ao ar livre, enquanto outras foram enterradas em locais inadequados. Não foram tomadas medidas adequadas para lidar com a poluição decorrente das cerca de 4.500 carcaças que permaneceram no navio. 

A presença do Haidar, seus poluentes a bordo e as carcaças em decomposição resultou na contínua poluição da água e em danos ambientais. Isso foi claramente demonstrado por outro vazamento significativo de óleo do navio, ocorrido em dezembro de 2018. Apesar dos riscos apresentados, o navio permanece no mesmo local até hoje.

Os reclamantes, representados pelo PGMBM, estão agora buscando indenização da Salic UK por meio do Tribunal Superior da Inglaterra e País de Gales, incluindo danos materiais decorrentes da destruição e desvalorização dos estoques de peixes e da poluição da água e das praias, lesões corporais, danos à propriedade, e perdas econômicas. 

PGMBM (a trading name of Excello Law Limited) – SRA License Number 512898

Badge