Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

O pior desastre ambiental da história do Brasil desencadeou uma das maiores ações judiciais já registradas em um tribunal britânico.

No dia 5 de novembro de 2015, a barragem de rejeitos de minério do Fundão se rompeu em Minas Gerais, Brasil, despejando aproximadamente 60 milhões de metros cúbicos de resíduos tóxicos, provocando um dos desastres ambientais mais devastadores da história brasileira.

Dezenove pessoas foram mortas por uma avalanche de lama que destruiu o distrito de Bento Rodrigues, se espalhando tão rapidamente que os habitantes não tiveram tempo de escapar. O líquido, composto de minério de ferro e água, percorreu vários mananciais, avançando para comunidades e danificando paisagens, infraestruturas e a vida selvagem. A lama chegou ao Oceano Atlântico e destruiu, ao longo do caminho percorrido, estações de tratamento de água, veículos, vegetações, pecuária e, consequentemente, a vida das pessoas.

O escritório de advocacia PGMBM representa mais de 200.000 clientes, incluindo indivíduos, municípios brasileiros, comunidades indígenas dos Krenak e a Arquidiocese, que sofreram inúmeras perdas como resultado desse desastre.

A ação coletiva foi ajuizada contra a empresa anglo-australiana BHP, que opera no Brasil através da mineradora Samarco, e é um dos maiores casos já apresentados em um tribunal inglês.

PGMBM (um nome comercial de Excello Law Limited) – Número de licença SRA 512898