Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

As malhas uroginecológicas (conhecidas como ‘malhas transvaginais’ ou ‘TVM’) são usadas para tratar mulheres que sofrem de certos problemas de saúde, como o prolapso de órgãos pélvicos, que é uma condição particularmente comum após o parto. O objetivo da malha é dar suporte aos órgãos enfraquecidos e reparar os tecidos danificados e, para implantá-las, é necessário um pequeno procedimento cirúrgico.

No entanto, para muitas mulheres, o implante da malha tem causado complicações graves e efeitos colaterais que mudaram suas vidas. Em vários casos, a malha é capaz de cortar as paredes vaginais ou os tecidos externos, causando dor crônica e exigindo que as mulheres realizem cirurgias complicadas.

Os fabricantes da malha não pesquisaram, projetaram ou testaram adequadamente seus produtos e as mulheres foram prejudicadas como resultado disso. O escritório de advocacia PGMBM procura garantir que essas mulheres, que sofrem dores e perdas financeiras nas mãos de empresas farmacêuticas, sejam devidamente indenizadas.

PGMBM (um nome comercial de Excello Law Limited) – Número de licença SRA 512898