Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

No dia 7 de setembro de 2018, a companhia aérea British Airways (BA) anunciou que seus sistemas de reservas online haviam sido acessados por terceiros não autorizados. Entre 21 de agosto de 2018 e 5 de setembro de 2018, dados sensíveis de mais de 500.000 clientes da British Airways foram comprometidos. A violação afetou clientes que haviam inserido ou alterado dados (como nome, endereços, endereços de e-mail, e detalhes do cartão de débito/crédito, incluindo código de segurança) para reservas de voos no site e no aplicativo da companhia aérea.

A BA foi multada em 183 milhões de libras pelo Gabinete do Comissário da Informação – órgão regulador do Reino Unido. Entretanto, esse dinheiro não será destinado aos indivíduos afetados.

O escritório de advocacia PGMBM, instruído por milhares de clientes prejudicados, procura obter indenização devida pela violação à privacidade. A Lei Geral de Proteção de Dados da União Europeia (GDPR), concede às pessoas o direito a uma indenização por danos morais.

Um dos sócios da PGMBM, Harris Pogust, afirma que “a violação de dados se tornou um dos problemas mais sérios que afeta todos nós. As informações fornecidas à British Airways por seus clientes foram algumas das informações mais pessoais que cada um de nós possui. Quando confiamos às empresas essas informações, esperamos um certo nível de conduta para protegê-las. Infelizmente, a British Airways falhou nessa tarefa e expôs informações de cartão de crédito de mais de 500.000 pessoas.

PGMBM (a trading name of Excello Law Limited) – SRA License Number 512898